terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Por Que os Homens Tendem a Se Punir Tanto?

Os homens têm necessidade de se punir porque se acreditam culpados do "crime" da fraqueza.
 O homem mantém em relação a si mesmo, uma expectativa absurda, fruto da fantasia e da idealização ilusória. 
Espera ser capaz de viver segundos ideais de força. 
Não se permite, por exemplo,sentir  ou, pelo menos, demonstrar medo, mesmo em situações onde o medo seria uma reação normal.
 Para esconder dos outros seu temor, lança mão do recurso de usar uma máscara falsa de impassível coragem.
 Tem vergonha do medo, assim como desdenha as lágrimas.

Está-se privando de um desabafo necessário, pois chorar, em momentos de aflição e sofrimento, é a reação humana normal.
 O homem "forte" que nunca chora acaba por se tornar verdadeiramente mais fraco.
Como um condenado que escapou da prisão e vive fugindo da polícia, este "super-homem" está também sempre em fuga, sempre na necessidade de esconder suas fraquezas humanas.
 E sempre angustiado, temendo, de repente, deixar transparecer seu medo ou indecisão.
 Está sempre na expectativa de um possível erro, de um pequeno engano, de um descontrole qualquer. 
 Se ele erra, começa a se rejeitar e a forjar uma outra imagem irrealística de si mesmo, até que, novamente, um outro acidente faça também em pedaços mais esta armadura.
 Nunca conseguirá vencer, pois nunca consegue ser ele mesmo.
Se você também espera ser um "super-homem" é melhor começar logo.
 Comece a compreender que seu valor independe de músculos de aço ou de um mito de coragem.
Assim como se orgulha de suas forças, precisa aprender aceitar também suas fraquezas.
Você pode mudar; você precisa mudar.

Os processos cognitivos existem para ajudá-lo neste sentido, propiciando à sua mente uma orientação firme e segura na direção de objetivos úteis e produtivos que você possui e nem tem conhecimento.
Cognição é o ato ou processo de conhecer, que envolve atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento e linguagem.

A psicologia cognitiva e a psicopedagogia podem  desenvolver  no  indivíduos, uma visão unitária dos processos mentais, onde o aprendizado se dá pela apreensão dos dados e do conhecimento imediato de um objeto mental.


A cognição é derivada da palavra latina cognitione, que significa a aquisição de um conhecimento através da percepção.

É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento e na percepção, também na classificação, reconhecimento e compreensão para o julgamento através do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas.

Mas a cognição é mais do que simplesmente a aquisição de conhecimento e consequentemente, a nossa melhor adaptação ao meio - mas é também um mecanismo de conversão do que é captado para o nosso modo de ser interno.

 Ela é um processo pelo qual o ser humano interage com os seus semelhantes e com o meio em que vive, sem perder a sua identidade existencial.

 Ela começa com a captação dos sentidos e logo em seguida ocorre a percepção. É portanto, um processo de conhecimento, que tem como material a informação do meio em que vivemos e o que já está registrado na nossa memória.
Especialista em Psicopedagogia pela Universidade Gama Filho - RJ Brasil, atende adolescente, adulto e idoso. 


 A leitura também pode ajudar!


2 comentários:

  1. Bom dia estou na fase com minha esposa de dar um tempo porque ela pediu , acabou comigo mas dei . So que quando eu vou visita-la porque eu as vezes preciso ir ,ela fica hora bem hora brigona , o que devo fazer chegar la com uma cara de feliz , preciso de ajuda não sei o que fazer ela é bipolar com certeza .
    Obrigado

    ResponderExcluir
  2. Nilton Eduardo, se você tiver skype poderia mandar assim seria melhor para te responder! Abraços.

    ResponderExcluir